Publicado em Deixe um comentário

Drones aprendem a ouvir gritos para localizar vítimas de desastres

Por Jorge Marin
.
Uma equipe de Engenheiros alemães revelou estar trabalhando para construir uma nova tecnologia para essas aeronaves: a de localizar e caçar pessoas com base nos sons de seus gritos.
.
No entanto, esses desenvolvedores argumentam que essa “habilidade” será por um bom motivo. Baseada no argumento de que uma das utilizações mais úteis de drones é monitorar áreas de difícil acesso, uma equipe do Instituto Fraunhofer de Comunicação, Processamento de Informação e Ergonomia (FKIE) afirmou em um comunicado que seus drones poderão localizar sobreviventes de desastres naturais.
.
Descrita em um dos painéis do 180º Encontro da Acoustical Society of America (ASA), realizado nesta terça-feira (8), a técnica se chama “Estimativa de ruídos de gritos usando uma matriz de microfone volumétrica montada em um UAV”, ou seja, esses cientistas estão ensinando os drones a encontrar sobreviventes de desastres naturais através do som de seus gritos.
.
Testando os microfones à procura de gritos
Fonte: Gerry Broome/AP

 

Segundo a líder do projeto, Macarena Varela, do Fraunhofer FKIE, a equipe está realizando testes com um sistema que utiliza uma série de microfones e técnicas de processamento avançadas, chamado de Crows ‘Nest Array. Até o momento nenhum dos caçadores de gritos ainda saiu do chão.

A Engenheira Elétrica e eletrônica explicou que “já detectamos com sucesso, e localizamos angularmente, sons impulsivos com muita precisão perto de distâncias com a presença de ruído do drone”. O que será testado agora é a medição de gritos, cruzada com um processamento de dados que consiga estimar as posições geográficas da origem dos sons.

Quando imaginamos a captação de gritos humanos durante um terremoto, por exemplo, temos um cenário acústico de grande complexidade. Se o sistema Crows for capaz de filtrar o ruído e localizar os sobreviventes que necessitam de ajuda, esta será uma ferramenta fundamental para que os socorristas possam realizar o seu trabalho.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.